Quarta, 01 de Outubro de 2014
   
Tamanho:

Insira texto a pesquisar:

SOS Filipinas: Da emergência à reconstrução

Depois da passagem do furacão “Yolanda” pelas Filipinas, do rasto de devastação e principalmente de vidas ceifadas, os nossos missionários no terreno são sinal de esperança e elo de comunhão com o mundo inteiro e solidário.

Como são muitas as pessoas, comunidades, associações, instituições (principalmente religiosas) e até meios de comunicação social a quererem saber mais informações e como ajudar, aqui fica o essencial.

Logo após a tragédia, começámos a receber as primeiras notícias dos nossos missionários, através do Pe. Efrém Limpo (Secretário Provincial): 

«Obrigado pela solidariedade e pelas orações. Sentimo-nos vulneráveis e com dor no coração pela perda de tantas vidas. As notícias dizem que há mais de 10 mil mortes, sem saber o que aconteceu nos povoados isolados. Creio que demorará tempo para contactá-los, já que não há electricidade e muitas propriedades foram destruídas pelo furacão.

Em Quezón City estamos bem, mas as famílias dos nossos seminaristas e irmãos em Tacloban, Iloilo, Ormoc, Leyte e Cebú foram vítimas desta catástrofe. Estamos a fazer tudo por tudo para obtermos mais informações e podermos ajudá-los de alguma maneira. Estamos a começar com algumas iniciativas para arrecadar fundos através dos meios de comunicação.

A última noticia que recebemos conta que o nosso noviciado em Ormoc sofreu bastante. O telhado inteiro do segundo andar, onde dormiam os nossos noviços, desapareceu completamente, arrancado pelo vento. A capela também sofreu bastante. Os nossos noviços e o mestre tiveram que trasladar-se para a biblioteca (no primeiro andar), que agora serve de dormitório. As duas casinhas do fundo continuam de pé, mas o centro Pastoral ao lado da nossa casa de missão foi completamente destroçado.

Felizmente o Pe. René Manubag CMF estava em Ormoc quando aconteceu tudo isto e conseguiu chamar o Superior Provincial. Ele enviou-nos notícias desde a cidade de Cebú, já que ali tem cobertura telefónica. O Pe. René pediu-nos provisões, não só para o noviciado, mas também para o povo de Ormoc, pois há escassez de alimentos. Conforme nos contava Pe. René, só ficou um saco de arroz no noviciado e não é suficiente para alimentar o povo que pede ajuda e proteção para dormir.

Rezem por nós e pelo povo de Filipinas. Transmitam os nossos agradecimentos a todos os nossos irmãos.»

A este propósito, o Pe. Josep Maria Abella, CMF, Superior Geral, dirigiu imediatamente uma Carta Circular a toda a Congregação Claretiana, apelando à solidariedade para com o povo filipino.

 

Lagos, 10 de Novembro de 2013.

A todos os Missionários Claretianos

Estimados irmãos:

Cordiais saudações desde Lagos (Nigéria). Todos nós acompanhamos com preocupação as notícias sobre o furacão que açoitou a parte central de Filipinas. Como sabem pela comunicação social, a parte mais atingida pelo dito furacão foi Tacloban, uma cidade onde residem as famílias de alguns Claretianos e onde está o noviciado da Província de Filipinas.

Entrei em contato com o Pe. Leo Dalmao, Superior Provincial de Filipinas, e com alguns Claretianos cujas famílias se viram atingidas directamente. As notícias são ainda meio confusas porque é difícil a comunicação, mas sabemos, por exemplo, que a casa do Noviciado sofreu bastante na sua estrutura e também o Centro de Formação de Evangelizadores que ali temos.

A isto tudo se une a incerta mas grande quantidade de pessoas que perderam a vida, a dor dos familiares, a preocupação de quem viu destruída a sua casa ou os meios que tinham para cuidar de suas famílias.

Faço um apelo a toda a Congregação para expressar a nossa solidariedade com a Província de Filipinas e com as muitas pessoas que precisam de ajuda neste momento.

Convido a todas as Comunidades, Paróquias, Colégios, Províncias e Delegações, etc, que façam algum gesto de solidariedade para com os nossos irmãos das Filipinas e com as pessoas que estão a sofrer por causa do furacão. Estou certo que terei uma resposta generosa.

As colaborações poderão ser enviadas aos Governos das suas Províncias ou Delegações que, por sua vez, as farão chegar ao FUNDUS, para serem depositados na conta da Província de Filipinas. Esta nos informará, no momento oportuno, sobre o uso destes fundos e dos projetos que estão sendo levados a cabo ou que sejam necessários.

Que o Senhor abençoe a vossa generosidade. Confiamos ao Coração de Maria os nossos irmãos de Filipinas e o povo que está sofrendo por causa do furacão. Estou certo de que os Claretianos de Filipinas saberão expressar ao povo, sobretudo às famílias daqueles irmãos nossos que se viram atingidos diretamente por esta catástrofe natural, a nossa proximidade e comunhão.

Obrigado a todos pela colaboração.

Irmão "in Corde Matris",

Josep M. Abella, cmf.

Superior Geral

 

Assim, e para esta primeira fase de emergência, o P. Artur Teixeira, Superior Provincial dos Claretianos em Portugal, Angola e São Tomé e Príncipe, apela a darmos a melhor resposta, dentro das nossas possibilidades e generosidades. E, conforme instruções recebidas, solicita que a mesma ocorra directamente para o Governo Provincial.

Caso desejem corresponder a este SOS Filipinas, enviem-nos o vosso donativo em cheque à ordem de PPCMCM para a nossa morada: GOVERNO PROVINCIAL - Av. Alm. Gago Coutinho, 85. 1700-028 Lisboa. Ou, se preferirem, por transferência bancária para o NIB 0033 0000 4536 8440 1670 5 (Conta PPCMCM - Banco Millenium BCP) indicando nas "observações" que se destina ao SOS Filipinas.

Para a segunda fase, a da reconstrução, a nossa Procuradoria Portuguesa das Missiões Claretianas receberá instruções da sua homóloga filipina e, certamente, ponderará incluí-la num dos seus "projectos com coração" para 2014. 

Obrigado e em comunhão. 


Nos últimos dias...

Dois Claretianos foram de Manila a Ormoc para colaborar expressamente nas tarefas de ajuda humanitária e ao mesmo tempo tomar nota das necessidades mais urgentes dos habitantes desta região.

A resposta generosa da Congregação, não se fez esperar. Através do "Fundus", várias Províncias, Delegações e Comunidades estão a fazer chegar as suas colaborações. A solidariedade é uma nota de esperança na reconstrução física e moral das comunidades filipinas.

Logo depois dos angustiantes dias sem comunicação, após o furacão Yolanda nas Ilhas Filipinas, o Pe. Antonio Vo Van Tung CMF, conseguiu colocar nas redes de comunicação várias imagens da casa do Noviciado de Ormoc. Podem ver os danos causados pela tormenta e a coragem de nossos irmãos na superação da adversidade.

A ajuda internacional, bem como a da comunidade congregacional, começa a chegar lentamente, enfrentando muitas dificuldades logísticas.

Enquanto isso, a comunidade do nosso noviciado empenha-se em apoiar solidariamente o povo atingido.


Para continuar a acompanhar os últimos desenvolvimentos e até deixar uma mensagem de apoio a quem continua a trabalhar no terreno, visite o Site da Província Claretiana das Filipinas (http://www.claretphilippines.com/).


Ajudas recebidas e enviadas

1.ª fase (emergência imediata)

* PPCMCM - Claretianos (10.000 €)

* Abel Ferreira (20 €)

 

2.ª fase (reconstrução) -» Consultar 10 Projetos com voz (2014) no Site das Missões na Internet & no Facebook.